Leitura com áudio: As Aventuras de Tom Sawyer

span style=”font-size: 12pt;”>Já baixou seu e-book “Fluente para Sempre” com dicas NINJA pra dar uma turbinada no seu inglês ainda hoje? Clique abaixo e bons estudos!

Hello there!

Aqui você tem o primeiro capítulo do livro The Adventures of Tom Sawyer, de Mark Twain, com áudio! Boa leitura!

Download audio

A Few Words to Begin

MOST OF THE adventures in this book really happened. One or two were my own experiences. The others were experiences of boys in my school. Huck Finn really lived. Tom Sawyer is made of three real boys.
My book is for boys and girls, but I hope that men and women also will read it. I hope that it will help them to remember pleasantly the days when they were boys and girls, and how they felt and thought and talked, what they believed, and what strange things they some-times did.

Mark Twain
in the State of Connecticut,Hartford 1876

Algumas palavras para começar

A MAIORIA DAS aventuras neste livro realmente aconteceu. Uma ou duas foram minhas próprias experiências. Os outros eram experiências de meninos na minha escola. Huck Finn realmente viveu. Tom Sawyer é baseado em três meninos reais.
Meu livro é para meninos e meninas, mas espero que homens e mulheres também o leiam. Espero que isso os ajude a lembrar com prazer os dias em que eram meninos e meninas, e como eles se sentiam, pensavam e falavam, em que acreditavam e que coisas estranhas eles faziam algumas vezes.

Mark Twain
no estado de Connecticut, Hartford 1876

Aunt Polly Decides Her Duty

“Tom!”
No answer.
“TOM!”
No answer.
The old lady looked around the room.
“When I find you, I—”
She did not finish. With her head down, she was looking under the bed. Only the cat came out. She went to the open door and looked toward the garden. No Tom was there. She shouted:
“You, Tom!”
There was a little noise behind her. She turned and caught a small boy, stopping him before he could escape.
“What were you doing in that corner?”
“Nothing.”
“Nothing! What is that on your hands and face?”
“I do not know, Aunt Polly.”
“I know. You have been eating sweets. I have told you a hundred times not to eat those sweets.”
Her hand was raised in the air—it started down—it was very near—
“Oh! Look behind you, Aunt!”

Tia Polly decide seu dever

Tom!”
Sem resposta.
“TOM!”
Sem resposta.
A velha senhora olhou ao redor da sala.
“Quando eu te encontrar, eu-“
Ela não terminou. De cabeça baixa, ela estava olhando debaixo da cama. Apenas o gato saiu. Ela foi até a porta aberta e olhou para o jardim. Tom não estava lá. Ela gritou:
“Você, Tom!”
Houve um pequeno ruído atrás dela. Ela se virou e pegou um menino pequeno, parando-o antes que ele pudesse escapar.
“O que você estava fazendo naquele canto?”
“Nada.”
“Nada! O que é isso em suas mãos e rosto?
“Eu não sei, tia Polly.”
“Eu sei. Você tem comido doces. Eu já lhe disse cem vezes para não comer esses doces.”
Ela levantou sua mão noar – começou a descer – estava muito perto –
“Oh! Olhe para trás, tia!

The old lady turned. The boy ran. In a moment he was up on the high board fence. Then he was on the far side of it. His Aunt Polly was surprised. Then she laughed a little.
“That boy! I never know what he will do next. And he knows that I do not want to hit him. But I should. And if he does not go to school this afternoon, I must make him work tomorrow. He does not like work. Especially on Saturday, when there is no school, he does not like work. All the other boys will be playing. But I must try to make him a good boy. He is my dead sister’s son, and it is my duty. I must do my duty.”

A velha senhora se virou. O garoto correu. Em um momento ele estava na cerca de madeira alta. Depois ele estava do outro lado. Sua tia Polly ficou surpresa. Então ela riu um pouco.
“Esse menino! Eu nunca sei o que ele fará em seguida. E ele sabe que eu não quero bater nele. Mas eu deveria. E se ele não for à escola hoje à tarde, devo fazê-lo trabalhar amanhã. Ele não gosta de trabalho. Especialmente no sábado, quando não há escola, ele não gosta de trabalho. Todos os outros garotos estarão brincando. Mas devo tentar fazer dele um bom menino. Ele é o filho da minha irmã que morreu e é meu dever. Eu devo fazer o meu dever.”

Tom did not go to school and he had a very happy afternoon. He came home late. He hurried to do his share of the evening work. His brother Sid had already finished his share. Sid was a quiet boy, who had no adventures and also no troubles.

While Tom sat eating, his Aunt Polly asked questions. She hoped to learn about his afternoon.

“Tom, was it warm in school?”
“Yes, Aunt Polly.”
“Did you wish to go swimming, Tom?”

Tom não foi à escola e teve uma tarde muito feliz. Ele chegou em casa tarde. Ele correu para fazer sua parte do trabalho da noite. Seu irmão Sid já havia terminado sua parte. Sid era um menino quieto, que não tinha aventuras e nem problemas.

Enquanto Tom estava comendo, sua tia Polly fez perguntas. Ela esperava saber sobre a tarde dele.

“Tom, estava quente na escola?”
“Sim, tia Polly.”
“Você queria ir nadar, Tom?”

Tom began to feel afraid. What did she know about his afternoon? “No, Aunt Polly. Not very much.”
She touched his shirt. It was dry. But Tom knew what she would touch next. He said quickly, “Some of us put water on our heads because we were hot. My hair is not dry yet.” He watched her face. Yes, she believed him. He was safe. And Aunt Polly was glad to believe that he had been good.

Tom começou a ficar com medo. O que ela sabia sobre a tarde dele? “Não, tia Polly. Não muito.”
Ela tocou a camisa dele. Estava seca. Mas Tom sabia o que ela tocaria em seguida. Ele disse rapidamente: “Alguns de nós colocamos água em nossas cabeças porque estávamos com calor. Meu cabelo ainda não está seco.” Ele observou o rosto dela. Sim, ela acreditava nele. Ele estava seguro. E tia Polly estava feliz por acreditar que ele tinha sido bom.

The summer evenings were long. Tom walked along the street, whistling like a bird. Then he stopped whistling. He had met a stranger, a boy a little larger than he was. The boy’s clothes were new and good, and he was wearing shoes. Tom would wear shoes and good clothes like these only to church on Sunday. Tom looked and looked. The boy’s clothes seemed to become better and better, and his own clothes seemed to grow poorer.

As noites de verão eram longas. Tom caminhou pela rua, assobiando como um pássaro. Então ele parou de assobiar. Ele conhecera um estranho, um menino um pouco maior do que ele. As roupas do menino eram novas e boas e ele usava sapatos. Tom usava sapatos e roupas boas como estas apenas para ir à igreja no domingo. Tom olhou e olhou. As roupas do menino pareciam ficar cada vez melhores, e suas próprias roupas pareciam ficar mais pobres.

Neither boy spoke. If one moved, then the other moved. But they moved only to the side, in a circle. They remained face to face and eye to eye. Then Tom said:

“I can beat you!”
“Try.”
“I can.”
“No, you can’t.”
“Yes, I can.”
“No, you can’t.”
“I can.”
“You can’t.”
“Can!”
“Can’t!”

Nenhum dos garotos falou. Se um se movesse, o outro se movia. Mas eles se moveram apenas para o lado, em um círculo. Eles ficaram cara a cara e olho no olho. Então Tom disse:

“Eu consigo vencer de você!”
“Experimenta.”
“Eu consigo.”
“Não, você não consegue.”
“Sim eu consigo.”
“Não, você não consegue.”
“Eu consigo.”
“Você não consegue.”
“Consigo!”
“Não consegue!”

A moment of quiet. Then Tom said:

“I could beat you with one hand.”
“Do it. You say you can do it.”
“That hat!”
“Hit it off my head if you can.”
“I will.”
“You are afraid.”
“I am not afraid.”
“You are.”
“I am not.”
“You are.”

Um momento de silêncio. Então Tom disse:

“Eu poderia bater em você com uma mão.”
“Bate. Você diz que consegue fazer isso.
“Esse chapeu!”
“Tira ele da minha cabeça, se você conseguir.”
“Eu tiro.”
“Você está com medo.”
“Eu não estou com medo.”
“Está sim.”
“Não sou.”
“Está.”

More moving in a circle. Now they were shoulder to shoulder, each trying to make the other fall back. And then suddenly they were both rolling in the dust. Each pulled at the other’s hair, and each hit the other’s nose.

And now through the dust Tom appeared, sitting on the new boy, beating him with hard, closed hands.
“Have you had enough?” said he. The boy tried to get free. He was weeping with anger. “Have you had enough?”

Eles se moveram mais em círculo. Agora eles estavam ombro a ombro, cada um tentando fazer o outro recuar. E então, de repente, os dois estavam rolando na terra. Cada um puxou o cabelo do outro e bateu um no nariz do outro.

E agora, através da terra, Tom apareceu sentado no novo garoto, batendo nele com as mãos duras e fechadas.
“Quer mais?”, Disse ele. O garoto tentou se libertar. Ele estava chorando de raiva. “Quer mais?”

Then the new boy said, “Enough!” Tom let him stand up and walk away. But as soon as Tom turned, the new boy threw a stone, hitting Tom’s back. Therefore, Tom followed him home, and waited. The boy did not come out again. His mother came and said that Tom was a bad child. She told him to go home.

It was late when Tom got there. Very quietly and carefully, he entered through a window. But his aunt was waiting for him. She had learned from Sid about Tom’s afternoon. Now she saw his clothes and she knew that he had been fighting. She knew what she must do. Tom would work all day on Saturday.

Então o garoto novo disse: “Chega!” Tom o deixou se levantar e ir embora. Mas assim que Tom se virou, o novo garoto jogou uma pedra, batendo nas costas de Tom. Portanto, Tom seguiu-o para casa e esperou. O menino não saiu de novo. Sua mãe veio e disse que Tom era uma criança ruim. Ela disse a ele para ir para casa.

Já era tarde quando Tom chegou lá. Muito calma e cuidadosamente, ele entrou por uma janela. Mas sua tia estava esperando por ele. Sid tinha lhe contado obre a tarde de Tom. Agora ela viu suas roupas e ela sabia que ele estivera lutando. Ela sabia o que deveria fazer. Tom trabalharia o dia todo no sábado.

Veja também:

==> Como dizer “Onde o Judas perdeu as botas” em inglês
==> Comece a Estudar Inglês Agora – Não Espere Até Agosto!
==> Inglês Perigoso: BITCH x BEACH, SHIT x SHEET, PISS x PEACE

RECEBA DICAS GRÁTIS

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Deixe seu Comentário

Adir Ferreira © Todos os Direitos Reservados - 2014 | Desenvolvido por Blueberry - Soluções Digitais